Mercado de Eventos - Seguros e Projeto de Lei

Mercado de eventos em ascensão, conta com projeto de lei que torna obrigatória a contratação de um seguro para a realização dos eventos.
 
Desde o ano de 2013 pesquisa efetuada no mercado de eventos brasileiro pelo II Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no. Brasil , aponta para crescimento anual de 14%. Os números são animadores e em 2013 apontaram R$209,2 bilhões, em um total de  590 mil eventos realizados, com arrecadação de cerca de R$ 48,7 bilhões em impostos, e geração de 7,5 milhões de empregos representando 4,3% do PIB do Brasil. 
 
A crise econômica e política no Brasil refletiu na indústria nacional de eventos em 2016, diminuindo o número de eventos, mas, os Jogos Olímpicos Rio 2016 contribuíram para uma exposição positiva do Brasil na área de eventos além da movimentação econômica que já proporcionou durante os Jogos. Este cenário vem melhorando em 2017 apesar da tímida retomada dos investimentos no setor. Este mercado em ascensão, conta com projeto de lei que torna obrigatória a contratação de um seguro para a realização dos eventos. 
 
O Projeto de Lei Complementar (n° 1/15), de autoria do deputado Lucas Vergilio (SD-GO), foi aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara e segue para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, o último passo antes de ser levado a Plenário. Se aprovado, casas de shows, boates, teatros, estádios, cinemas e similares só poderão funcionar após a contratação de seguro de responsabilidade civil.  Já há sugerido um valor para este seguro com indenizações mínimas por pessoa, ser de R$ 10 mil (morte acidental), R$ 5 mil (invalidez permanente) e R$ 2 mil (despesas médicas, inclusive diárias hospitalares).
 
Além disso, deverá constar no ingresso o valor do capital segurado individual, o número da apólice, o nome e o número do registro da corretora, o nome e o telefone da seguradora contratada. Atualmente o mercado funciona em grande informalidade e os eventos em sua maioria são realizados sem cobertura securitária. O projeto é sem dúvida um grande avanço para o setor, pois, torna obrigatório o seguro que garante indenizações desde a montagem até a desmontagem do evento, garantindo tanto o staff quanto ao público em geral e celebridades participantes dos eventos.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Paula Berezin.
CEO Grupo Trust Brasil – corretora especializada em eventos desde o ano de 2003.
 
 

 

Realização

Acompanhe nas Redes

  

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias dos eventos
You are here